O 

 O GRUPO FIGUEIRA DA GLETE
 NO DIA DO GEÓLOGO

Ano II - Nº 7        Edição Especial   de 30/05/2003                                                                  

Brucutu News Digital

Página 1   Página 2   Página 3  Página 4  Página 5  Página 6  Página 7  Página 8  Página 9

Conheça alguns detalhes da I Feira Nacioanal  de Empresas de Geologia - FENAFEG realizada no período de 26 a 30 de maio de 2003 na sede do IGc - USP I FENAFEG                                                                                    Retorna a página anterior

 
30/05/2003 - DIA DO GEÓLOGO 
 

I Feira Nacional de Fornecedores e Empresas de Geologia - FENAFEG



I FENAFEG - São Paulo, 26 a 30 de maio de 2003

CERIMÔNIA DE ABERTURA


Palavras proferidas pelo Prof. Dr. Wilson Teixeira
Diretor do IGc - USP


Excelentíssimo Senhor, Prof. Dr. Celso de Barros Gomes, Chefe de Gabinete da Reitoria da Universidade de São Paulo, neste ato representando o Prof. Dr. Adolpho José Melfi - Magnífico Reitor da Universidade de São Paulo;

Excelentíssimo Sr. - Prof. Dr. Oswaldo Massambani - Secretário Adjunto da Secretaria da Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo do Governo do Estado de São Paulo;

Excelentíssima Senhora Sônia Aparecida Abissi Nogueira – Diretora do Instituto Geológico;

Excelentíssima Senhora, Profa. Dra. Maria Rita Caetano Chang, Diretora do Instituto de Geociências da UNESP, a quem cumprimento em nome dos Dirigentes de Unidades Universitárias presentes;

Excelentíssimo Senhor, Agamenon Sergio Lucas Dantas – Diretor Presidente do Serviço Geológico do Brasil – CPRM;

Excelentíssimo Senhor, Prof. Dr. José Geraldo Massucato, Prefeito do Campus da Capital.

Excelentíssimo Senhor, José Carlos Garcia Ferreira – Superintendente da Regional de São Paulo – CPRM;

Excelentíssimo Senhor, Omar Yazbek Bitar – Diretor da Divisão de Geologia do Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT;

Excelentíssimo Senhor, Giacomo Re – Presidente da Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental – ABGE.

Prezados Professores, Setembrino Petri e José Moacir Viana Coutinho, professores eméritos do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo, aos quais saúdo em nome dos ex-diretores do Instituto e de todos os professores aposentados presentes

Prezados docentes, funcionários não-docentes e alunos do Instituto de Geociências;

Prezados geólogos do Grupo Figueira da Glete, aos quais saúdo em nome de todos os colegas presentes;

Senhoras e Senhores,

         É com grande satisfação que estaremos realizando a Semana Comemorativa do Geólogo 2003, com importantes atividades técnico-científicas e culturais no Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo.

         Desejo agradecer, nesta oportunidade, ao apoio de todos, em especial da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária, da Pró-Reitoria de Pesquisa e ainda da Secretaria da Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo do Governo do Estado de São Paulo, cujos patrocínios financeiros, permitiram concretizar um evento único na área das Geociências, e que tem despertado grande interesse no mercado e na comunidade acadêmica nacional.

         Gostaria também de manifestar, publicamente, a minha satisfação com a realização da I Feira Nacional de Fornecedores e Empresas de Geologia – FENAFEG e ainda a GeoExpo, iniciativas da Empresa Geo Junior da nossa escola. Cumpre-me agradecer, portanto, à Ana Gabriela de Paula Brandão, Diretora Presidente da Geo Junior Consultoria pela iniciativa, a quem cumprimento em nome de todos os estudantes da comissão organizadora do evento.

         Entendo que com mais esta inovação, o Instituto de Geociências cumpre sua tradição e trajetória destacada, ao fomentar novos caminhos para a formação de recursos humanos, e, ao mesmo tempo, dando visibilidade ao caráter empreendedor de nossos estudantes, simbolizada nas ações da Empresa Junior de Geologia.

         Mais importante ainda, contudo, a Semana Comemorativa do Geólogo permite ampliar a divulgação do importante papel das Geociências na sociedade, induzindo o despertar de vocações precoces, utilizando como instrumento sadio um fórum técnico-científico aliado a eventos culturais que, a partir desta tarde terão sede no Instituto de Geociências.

         Por outro lado, a temática do evento serve também de um diagnóstico muito preciso de alguns dos novos rumos que deveremos valorizar - ensejando novas reflexões acadêmicas, a aproximação com o mercado, de forma a subsidiar as necessárias mudanças curriculares para formarmos um profissional qualificado, atualizado e moderno.

          Essa é, sem dúvida, a mais importante missão institucional, e estou certo que temos potencial humano e qualificação para cumpri-la, em coerência com nossa tradição participativa e com a responsabilidade de contribuir ativamente para o desenvolvimento, pois o século 21 exige da universidade uma constante transformação como é a dinâmica da própria vida. Uma universidade que instigue o aluno a criar, a ser empreendedor e inventor de seu próprio caminho.

         Passados 45 anos desde a data da criação do curso de Geologia, pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, o Instituto de Geociências conta com 137 funcionários não-docentes e 61 funcionários-docentes, a grande maioria atuante em regime de dedicação integral à docência e à pesquisa. Nosso corpo docente reúne a elite científica nacional simbolizada pelo notável percentual de 97 % dos docentes com titulação mínima de doutor – colegas que hoje coordenam projetos de cooperação cientifica nacional e internacional, e atuam no desenvolvimento de novas tecnologias. Muitos desses projetos valorizam a interação universidade-empresa, norteada pelo ganho qualitativo, seja tecnológico, seja na formação de recursos humanos.

         Esta elevada qualificação do corpo docente nos habilita a desenvolver um curso de graduação dinâmico e multidisciplinar e 4 programas de pós-graduação, para cerca de 513 alunos, que se apóia no principal acervo bibliográfico em Geociências do país, disponibilizado em nossa biblioteca.

         Disponibilizamos uma área construída de 16000 m2 novos ambientes, onde estão salas e auditórios modernos, laboratórios de ponta para pesquisa acadêmica e aplicada, e que estão disponíveis à prestação de serviços. Entre outras instalações, destaca-se o Museu de Geociências, centro de excelência de divulgação científica e cultural, e que atende a um público externo que hoje alcança a notável cifra de 20.000 visitantes anuais. Portanto, em 4 décadas, construiu-se uma instituição mais aberta e competitiva, tendo por valores a excelência em ensino, pesquisa e prestação de serviços à comunidade – uma instituição com desempenho relevante no cenário nacional e com padrão de excelência comparável ao de instituições congêneres internacionais, em que é possível, inclusive, ao aluno cursar disciplinas no exterior, com base em convênio de intercâmbio recentemente firmado. È este desempenho que simboliza o retorno para a sociedade que custeia a Universidade pública.

 Senhoras e Senhores,

         A missão do Instituto de Geociências exige a pronta transferência dos conhecimentos básicos em Geociências, valorizando uma participação ativa na Educação, não só no nível universitário e na formação de novos pesquisadores, o que nós vínhamos fazendo – por consideramos que é a bagagem científica e tecnológica que determinará quem estará ou não incluído futuramente no mercado profissional – Mas também, o envolvimento cada vez maior na educação básica, difundindo a ciência, treinando professores em ciência, e melhorando a qualidade de ensino ministrado no nível fundamental e médio.

         Por essa razão, o Instituto de Geociências da USP deverá oferecer já para 2004 o primeiro curso noturno do país em Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental – com um perfil curricular inovador, com ênfase pedagógica, e que terá 4 anos de duração. Tenho certeza que será um novo paradigma no ensino de Ciências no Brasil, e que virá preencher um vazio cultural causado pela extinção dos cursos de História Natural. E ao cumprirmos esta e outras metas, estaremos reafirmando a nossa vocação histórica como pólo gerador das Geociências à sociedade brasileira. 

Caros alunos e profissionais egressos do Instituto de Geociências;

         Nada melhor que este momento, para trazer uma reflexão sobre a oportunidade de nossa geração viver essa transição histórica. É preciso, cada vez mais, atender aos anseios, necessidades e demandas da sociedade, com novas atitudes e posturas responsáveis, num mundo que se interliga e interconecta cada vez mais intensamente.

         Contudo, o sucesso de uma instituição será incompleto caso não tenha inspirado uma nova mentalidade, qual seja de qualificar seus estudantes para inserção no processo social maior, no qual desenvolverão suas capacidades de atuação como profissional, exercendo a cidadania em sua plenitude, – e valorizando em suas atividades profissionais a transmissão do conhecimento adquirido, como alavanca vital de desenvolvimento da nação. Espera-se ainda que, esse profissional, tome a iniciativa de cooperar na construção de uma instituição melhor, aproximando a empresa onde trabalha com a escola. Enfim, que sejam parceiros, sempre, no nosso esforço de divulgar a importância estratégica das Ciências da Terra para o desenvolvimento sustentável da sociedade brasileira.

Senhoras e Senhores,

         Desejo, nesta oportunidade, agradecer a todos que nos prestigiam nesta solenidade que abre a Semana Comemorativa do Geólogo. Minhas palavras finais são para uma última reflexão.

         A vida é feita de fases. Porém as fases passam e, quando não levam algo de nós, deixam algo em nós. Algo que pode ser um sentimento, uma pessoa, um lugar; a fase da escola, dos amigos e outras que vão surgindo, conforme crescemos. Até chegarmos na fase da universidade – fase importantíssima que pode influenciar e determinar todas as outras que virão.

         Hoje nossos alunos comemoram o relacionamento de profundo envolvimento com essa fase simbolizada no Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo – um exemplo de qualidade, responsabilidade e competência no ensino superior. Uma instituição que marcou, marca e marcará uma das mais importantes fases da vida de várias centenas de pessoas. A fase do conhecimento, do aprendizado, a fase da formação acadêmica.

         Assim como a nossa escola marca uma fase de experiências e conquistas inesquecíveis para muitas pessoas, marca também uma fase de conquistas e vitórias para o nosso país. Esperamos que essa fase de conquistas e vitórias dure por muito tempo, ampliando as parcerias e colaborações, ampliando a perspectiva do retorno do profissional aqui formado para contribuir com o Instituto de Geociências em seu papel estratégico na formação dos recursos humanos, para que juntos possamos enfrentar com sucesso, todas as outras fases que ainda estão por vir.

 

Muito obrigado


Vai para o início

Retorna a página anterior