O 

O GRUPO FIGUEIRA DA GLETE
COMEMORANDO O DIA DO GEÓLOGO
Ano I - Nº 7        Edição Especial : 30/05/2003                                                        Página 5
Brucutu News Digital
Página 1   Página 2   Página 3  Página 4   Página 5   Página 6   Página 7   Página 8    

Retorna a página anterior


30/05/2003 - DIA DO GEÓLOGO

Abertura da Cerimônia de Plantio da Figueira das Geociências nos jardins do Instituto de Geociências da USP – Cidade Universitária

Palavras proferidas pelo representante do Grupo Figueira da Glete, 
geólogo Nelson Custódio da Silveira Filho (o Capi da Turma de 67)

Caro Professor Dr. Celso de Barros Gomes, mui digno Chefe de Gabinete do Magnífico Reitor da USP, o gletiano Prof. Doutor Adolpho José Melfi;

Meu caro Prof. Dr. Wilson Teixeira, mui digno Diretor do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo, a quem gostaria no momento de publicamente agradecer em nome do Grupo Figueira da Glete todo apoio que nos deu na organização e viabilização deste ato simbólico de reconhecimento ao trabalho e esfôrços dispendidos pelos geólogos pioneiros da Glete, que viabilizaram a Geologia na Universidade de Saõ Paulo; 

Caro professor Rômulo Machado, mui digno Presidente da Sociedade Brasileira de Geologia, entidade técnico-científica máxima dos geólogos brasileiros, que também nasceu lá na Glete em 1946, cujo primeiro Secretário aqui está nos honrando com sua presença, o nosso caríssimo e estimado professor Dr. Fernando Flávio Marques de Almeida.

Meu caro amigo e professor Dr. Acyr Ávila da Luz, ex-Diretor do Departamento Nacional da Produção Mineral, que muito nos honra com a sua presença; 

Caros professores, colegas e grandes amigos: Dr. Setembrino Petri, Dr. José Moacyr Viana Coutinho, Dr. Reinhold Ellert, Dr. Umberto Cordani; Dr. Kenitiro Suguio; Dr. Eduardo Camilher Damasceno e Dr. Benjamin Bley de Brito Neves;   

Cara amiga Neuza Guerreiro de Carvalho, aqui representando os Naturalistas, Químicos e Psicólogos que estudaram e se formaram na Glete; 

Cara Dra. Maria Beatriz Bacellar Monteiro aqui presente, bisneta do empresário Jorge Street, ex-proprietário do velho Palacete da Alameda Glete, cuja participação histórica merece ser aqui destacada.  A participação de Jorge Street na história da Glete se inicia quando ele adquiriu o Palacete em 1916 para sua moradia, o reformou em 1926, e em seguida o cedeu, no início dos anos 30, à Cia de Seguros Sul América. Assim, em 1937,  o Palacete Jorge Street, tal como o conhecemos, entra na história da Universidade de São Paulo como uma de suas primeiras instalações próprias, pois foi adquirido com esta finalidade da seguradora Sul América pelo então Interventor Federal em São Paulo, Cardoso de Melo Neto para atender à instalação do Curso de História Natural da saudosa e brilhante Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da Universidade de São Paulo recém criada. Desta forma, já em 1937, passou a sediar o Curso de História Natural com suas recém criadas cadeiras de Mineralogia e Petrologia e Geologia e Paleontologia.

Meu caro Gerson Saturnino de Paula ( Martão ), nosso mui digno presidente do Centro Paulista de Estudos Geológicos, que está tendo no momento, a felicidade impar de conduzir as comemorações dos 45 anos de criação do nosso Centro Paulista de Estudos Geológicos - CEPEGE; 

Minha Cara Ana Gabriela de Paula Brandão, mui digna Diretora Presidente da Geo Júnior Consultoria, aqui representando e expressando a esperança e o despertar do espírito empreendedor dos futuros geólogos da USP,  

Demais autoridades aqui presentes ou representadas, senhores funcionários do Instituto de Geociências, minhas senhoras e meus senhores,

Caros colegas e amigos, 

O Grupo Figueira da Glete, que no momento é constituído apenas por ex-alunos, professores e funcionários do antigo Curso de Geologia da saudosa Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, nasceu em 04 de dezembro de 2001 com vários objetivos, e entre eles, gostaria de destacar: a recuperação da história da nossa escola de Geologia da USP, sem dúvida nenhuma, uma importante parte da história da Geologia do Brasil. 

Este dia 30 de maio de 2003, data em que comemoramos mais um Dia do Geólogo, tem para nós um significado muito especial, pois vamos neste momento realizar um sonho do Grupo Figueira da Glete, que é realizar o  plantio de uma filha da nossa Figueira da Glete aqui no Instituto de Geociências que, na realidade não é só nossa, pois antes de nós geólogos, ela já representava um símbolo de amor, de encontro e de união para os  naturalistas e químicos que lá Glete a conheceram e desfrutaram da sua sombra protetora.  

Caros amigos, a mãe  da Figueira das Geociências que hoje vamos plantar, é hoje algo muito maior, pois além do que ela simbolicamente representa para nós todos, ela hoje também faz parte do patrimônio ambiental da nossa querida cidade de São Paulo.  

Antes de encerrar, e de passar a palavra ao nosso Mestre de Cerimônias, geólogo Virginio Mantesso, gostaria de enfatizar  que esta singela cerimônia, além de representar nosso desejo de unir todas as gerações de geólogos da USP,  que costumamos dividir em fases Glete, Barracões e IGc, representa também um  ato de  reconhecimento e agradecimento ao vigoroso trabalho e esforços de pesquisa dispendidos pelos pioneiros da Glete, no sentido de desenvolver as Geociências no Brasil. 

Não posso deixar de falar neste momento um pouco sobre a I FENAFEG, um trabalho conjunto da Geojúnior e do IGc da USP. Pelo que pude ver, esta realização só pode ser classificada como simplesmente espetacular!  

Confesso, nunca vi nada igual nesse gênero no Brasil. Ao longo da minha vida profissional tenho participado de vários encontros e atividades similares a este preparado pela Geojúnior. Este realmente está excelente, superou tudo que já vi. Sem dúvida nenhuma meus senhores, estamos assistindo o nascimento de um novo estilo de ação que irá realmente propiciar o estreitamento de relações profícuas entre Empresas e a Universidade. Algo de novo foi inaugurado no Brasil!

A organização, impecável. Todos atenciosos e extremamente interessados  em mostrar que são capazes de promover a nossa Geologia, que são capazes integrar nossa escola com a comunidade empresarial. Cara Ana Gabriela e todos da Geojúnior, aceitem os meus parabéns.
 

Esperamos que esta filha da Figueira da Glete que hoje aqui passa a vicejar, continue no nosso Instituto de Geociências a missão de sua mãe, a missão de proteger e iluminar o caminho dos geólogos formados pela USP e que sua sombra seja também motivo de união, de agradáveis reencontros de colegas, professores, funcionários e de amigos da Geologia.

                                                                                   Nelson Custódio (Capi67)



Início

Retorna a página anterior